Não é só um dia de homenagens

As homenagens pela passagem do 8 de março não podem esconder a opressão vivida pelas mulheres em todos os dias do ano.

Elas são mais da metade da população brasileira (51,5%) e estudam em média por mais tempo do que os homens (8,1 anos). Mas são mais exploradas e recebem salários menores, mesmo quando desempenham a mesma função.

As mulheres trabalham mais horas todos os dias, por causa do trabalho doméstico (7,5 horas a mais por semana do que os homens).

Violência, NÃO!

Os dados são ainda mais dramáticos quando o assunto é violência. Segundo o 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública:

* 12 mulheres são assassinadas por dia no Brasil (uma a cada duas horas);

* A cada 11 minutos, um estupro é denunciado e, em mais da metade dos casos, o crime é cometido por alguém próximo da vítima, um parente, parceiro ou ex-namorado.

E esses dados ainda estão longe da realidade. A estimativa é que apenas 10% dos crimes são denunciados.

8 de março é um dia de luta

Se você fica indignado(a) com essa situação, é porque compartilha dos mesmos ideais que inspiraram a criação do dia 8 de março.

A data nasceu da luta das mulheres trabalhadoras pelo fim da opressão feminina e por melhores condições de trabalho.

– 28 de fevereiro de 1909 – Dia da Mulher em Nova Iorque cobra direito ao voto feminino;

– 1910 – II Congresso Internacional de Mulheres Socialistas aprova data anual de defesa de direitos.

– 25 de março de 1911 – um incêndio em uma fábrica em Nova Iorque mata mais de 100 mulheres, vítimas das condições precárias de segurança no trabalho.

– 8 de março de 1917 – 90 mil trabalhadoras russas do ramo têxtil tomam as ruas em greve contra a fome e contra a participação do país na Primeira Guerra Mundial. O protagonismo dessas mulheres derruba a monarquia na Rússia e é fundamental para a vitória da Revolução Socialista de Outubro.

1921 – Conferência das Mulheres Comunistas aprova o dia 8 de março como Dia Internacional da Mulher. É em homenagem à luta das trabalhadoras russas que o Dia Internacional da Mulher passa a ser comemorado no 8 de março de forma unificada em todo o mundo.

Por um mundo sem exploração

Você já percebeu como a grande mídia fala pouco sobre a origem do 8 de março?

Isso não acontece por acaso: querem esconder que a data nasceu da luta das mulheres trabalhadoras que, mesmo depois de 12 ou 14 horas de trabalho nas fábricas, ousavam sonhar com um futuro sem opressão, um futuro em que homens e mulheres tenham igualdade plena de direitos e sejam livres da exploração.

Cabe a nós, trabalhadoras e trabalhadores, manter viva a memória dessa data e continuar semeando esses ideais. A luta pela divisão igualitária do trabalho doméstico e pela emancipação das mulheres faz parte da luta conjunta dos trabalhadores por uma sociedade justa, sem exploradores e sem explorados.

“Por um mundo onde sejamos socialmente IGUAIS, humanamente DIFERENTES e totalmente LIVRES.” – Rosa Luxemburgo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code