Fechada a negociação coletiva dos trabalhadores vestuaristas   Atualizado recentemente!


Reajuste de 3,99% repõe integralmente a inflação do período para todos os salários. Data-base da categoria é em 1º de maio. Muito importante lembrar: quem concede o aumento salarial é a empresa e não o Sindicato!

 

Os vestuaristas de Jaraguá do Sul, Guaramirim, Schroeder e Corupá recebem no quinto dia útil de junho reajuste salarial de 3,99% como resultado das negociações coletivas de trabalho entre os sindicatos dos Trabalhadores e Patronal do setor. O percentual repõe integralmente a inflação registrada nos últimos 12 meses (data-base da categoria é em 1º de maio). De acordo com a nova Convenção Coletiva de Trabalho, o Salário Admissional passa dos atuais R$ 1.131,25 para R$ 1.200,00, e o Normativo (mais de 90 dias de trabalho na mesma empresa), de R$ 1.208,13 para R$ 1.280,00, totalizando 6% de aumento salarial nos pisos. As demais cláusulas da CCT atual foram mantidas.

 

Resgate da Campanha Salarial 2017

No dia 1º de abril o STIVestuário realizou a Assembleia Geral para apreciação da pauta de reinvindicações a ser negociada com os patrões. A Assembleia é a oportunidade para a classe trabalhadora demonstrar sua capacidade de luta e resistência perante os empresários. Infelizmente, apesar do Sindicato ter distribuído informativos nas portas de fábricas, convocando para esta Assembleia, e de ter divulgado amplamente nas emissoras de rádio e site/facebook da entidade, apenas 200 trabalhadores/as participaram, sendo que o total da categoria gira em torno de 23 mil trabalhadores/as.

É lamentável a falta de participação da categoria, pois a nossa força se demonstra com a unidade dos/as trabalhadores/as em torno do seu Sindicato. A pauta de reivindicações foi aprovada durante a Assembleia, ficando definido que o Sindicato lutaria por aumento real de salário. Também, naquele  momento, os/as trabalhadores/as foram convidados para integrar a Comissão de Negociação, juntamente com a diretoria do Sindicato. Vários/as companheiros/as se inscreveram para fazer parte da Comissão.

Após as rodadas de negociação com o patronal, o resultado não foi bom. Não conseguimos avançar na questão do aumento real. Os patrões se mostraram irredutíveis e firmaram posição de só conceder a inflação e nada mais em termos de reajuste. Era isso ou nada. A Comissão de Negociação ficou de ‘mãos atadas’. Mesmo que se entrasse com o Dissídio Coletivo, não conseguiríamos percentual maior do que a inflação. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) não tem concedido nada mais e costuma levar mais de um ano para marcar o julgamento. Além disso, corríamos o risco de que o processo fosse arquivado, devido à baixa participação dos trabalhadores/as na Assembleia Geral de aprovação da Pauta. Ou seja, levaria mais tempo para a categoria receber o mesmo percentual de reajuste.

 

Quem dá aumento é o patrão

Se o Sindicato não fechasse a Convenção Coletiva de Trabalho e nem ingressasse com o Dissídio Coletivo, as empresas não estariam obrigadas a conceder qualquer reajuste salarial e ainda ficaríamos sem nenhuma cláusula de Convenção Coletiva, o que seria ainda pior para toda a categoria. É muito importante lembrar: Quem concede o aumento salarial é a empresa e não o Sindicato! Temos, por obrigação, representar a categoria e negociar o melhor aumento possível mas, infelizmente, o patrão não reconhece o valor dos seus trabalhadores.

Infelizmente, as empresas torcem para que seja aprovada a Reforma Trabalhista proposta pelo governo federal e que vai retirar muitos direitos da classe trabalhadora. Uma das grandes questões levantadas pela Reforma Trabalhista, e amplamente defendida pelos empresários, fala do “negociado sobre o legislado”, ou seja, terá mais valor o que for negociado do que aquilo que está na lei. Já sentimos, na prática, que isso não vai funcionar pois nesta negociação da Convenção Coletiva,  já pudemos sentir o gosto amargo desta situação, uma vez que os patrões ofereceram somente a reposição da inflação e nada mais.

Confira no quadro abaixo a variação da inflação, no último ano:

STIV tabela INPC maio2017

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *