Regime Geral no Setor Privado – Mulheres

Entenda como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 06/2019) que trata da reforma da Previdência afeta sua vida.

Para os trabalhadores do Regime Geral no Setor Privado – Mulheres

As mulheres serão as mais prejudicadas com a reforma da Previdência se a proposta apresentada for aprovada pelo Congresso Nacional.

No modelo atual, as trabalhadoras podem se aposentar após 30 anos de contribuição ao INSS, sem a exigência de idade mínima. Nesse caso, para ter acesso ao valor integral do benefício, as mulheres precisam que a soma da idade mais o tempo de contribuição seja igual a 86 (56 anos + 30 contribuição = 86 – aposentadoria integral).

No caso das trabalhadoras que não conseguem se aposentar por tempo de contribuição, a aposentadoria é por idade: 60 para as mulheres, com no mínimo 15 anos de contribuição.

A reforma de Bolsonaro quer acabar com a aposentadoria por tempo de contribuição e obrigar as mulheres a se aposentarem com, no mínimo, 62 anos de idade. Nesse caso, o tempo mínimo de contribuição subirá de 15 anos para 20 anos e as trabalhadoras vão receber apenas 60% do valor do benefício. Para ter acesso à aposentadoria integral, a trabalhadora terá de contribuir por pelo menos 40 anos.

Exemplo:
Pelas regras atuais, uma mulher de 55 anos e com 25 anos de contribuição precisaria trabalhar mais 5 anos para se aposentar com o benefício integral.

Já pelas regras propostas, que quer implementar a idade mínima obrigatória de 62 anos para as mulheres, essa mesma mulher terá de trabalhar pelo menos mais 7 anos (55+7 = 62) para se aposentar por idade. Ainda assim, ela só chegaria a 32 anos de contribuição (25+7 = 32) e não se aposentaria com o benefício integral, mas com 84% do valor.

Regime Geral no Setor Privado – Valor do benefício

Entenda como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 06/2019) que trata da reforma da Previdência afeta sua vida.

Para os trabalhadores do Regime Geral no Setor Privado – Valor do benefício

Pelas regras atuais, o valor do benefício é calculado com base na média das 80% maiores contribuições feitas pelo trabalhador ao longo da vida profissional.

Bolsonaro quer mudar essas regras. Pela proposta encaminhada ao Congresso, o cálculo passará a contar a média de todas as contribuições (100%) ao longo da vida profissional, inclusive os menores salários recebidos pelo trabalhador.

Ou seja, ao acrescentar os menores salários, o valor final do benefício será menor.

Regime Geral no Setor Privado – Tempo de contribuição

Entenda como a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 06/2019) que trata da reforma da Previdência afeta sua vida.

Para os trabalhadores do Regime Geral no Setor Privado – Tempo de contribuição

No modelo atual, os trabalhadores podem se aposentar após 35 anos de pagamento ao INSS e as trabalhadoras após 30 anos de contribuição, sem a exigência de idade mínima.

Nesse caso, para ter acesso ao valor integral do benefício, as mulheres precisam que a soma da idade mais o tempo de contribuição seja igual a 86 (56 anos + 30 contribuição = 86 – aposentadoria integral). Já os homens precisam que a soma final totalize 96 (61 anos + 35 contribuição = 96 – aposentadoria integral).

No caso dos trabalhadores que não conseguem se aposentar por tempo de contribuição, a aposentadoria é por idade: 65 anos para os homens e 60 para as mulheres, com no mínimo 15 anos de contribuição.

A ‘reforma’ quer acabar com a aposentadoria por tempo de contribuição e obrigar os homens a se aposentarem com a idade mínima de 65 anos e as mulheres com 62 anos.

O tempo mínimo de contribuição subirá de 15 anos para 20 anos e os trabalhadores vão receber apenas 60% do valor do benefício. Para ter acesso à aposentadoria integral, o trabalhador e a trabalhadora terão de contribuir por pelo menos 40 anos.

19/OUT – Intersindical promove debate sobre a Reforma Trabalhista

 

Painel acontece no dia 19 de outubro, no STIVestuário, e terá as presenças da juíza Andrea Haus Bunn e da procuradora Cinara Graeff

A Intersindical dos Trabalhadores de Jaraguá do Sul e Região promove, no dia 19 de outubro (quinta-feira), um Painel de Debates sobre a Reforma Trabalhista – a famosa lei 13.467 – que altera nada menos que 117 artigos da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e acaba com praticamente todos os direitos trabalhistas. O Painel de Debates vai acontecer no auditório do Sindicato dos Trabalhadores do Vestuário (Francisco Fischer, 60), das 14h às 18horas e terá como palestrantes a juíza do trabalho e presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho da 12° Região, Andrea Haus Bunn; a procuradora do Ministério do Trabalho em Santa Catarina, Cinara Graeff e os advogados trabalhistas Divaldo Luiz de Amorim e Milton Mendes de Oliveira. Na mesma oportunidade será lançada a cartilha “Antirreforma Trabalhista: Retorno à Escravidão”, que será distribuída entre a classe trabalhadora da região.

O evento é dirigido aos trabalhadores e trabalhadoras de todas as categorias e lideranças sindicais, mas é aberto ao público em geral. A iniciativa da Intersindical se deu devido à necessidade de informar a classe trabalhadora sobre a lei da antirreforma e propor alternativas para barrar o desmonte de nossos direitos. A Lei 13.467 entra em vigor em novembro e, além de retirar direitos, ataca ainda a sobrevivência do movimento sindical e da Justiça do Trabalho. Trata-se de um dos maiores retrocessos das últimas décadas e que vai levar o país e os trabalhadores a relações de trabalho semelhantes à escravidão. O movimento sindical está coletando assinaturas para conseguir derrubar a antirreforma trabalhista. São necessárias 1,3 milhão de assinaturas para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular. Para assinar o documento, basta comparecer ao Sindicato da categoria, munido de título de eleitor, RG e CPF e assinar.

Próximo sorteio de prêmios em dinheiro acontecerá no dia 01 de setembro

Na próximo dia 01/09 (sexta-feira), às 9h, acontecerá mais um Sorteio de prêmios em dinheiro para os trabalhadores associados no Sindicato.
Serão sorteados 06 prêmios no valor de R$ 1.000,00 cada;
Serão sorteados 10 prêmios no valor de R$ 500,00 cada.

Boa sorte! 

(Para participar não é necessário estar presente. Todos os associados estarão participando, os ganhadores serão comunicados logo após o sorteio)